• Escritório de Advocacia

Feminicídio




Os índices de feminicídio são alarmantes no Brasil.


Diariamente inúmeras mulheres padecem vítimas de violência doméstica e familiar – violência física, verbal, patrimonial, sexual e outras.


Alguns costumes e tabus sociais levam a mulher a NÃO denunciar o agressor, mas o perigo reside justamente aí. No caso da pedagoga “Drika” (Adriana Cazon) além de ela ser vítima de feminicídio, o agressor simulou uma cena de suicídio para tentar imputar a ela a própria morte.


Inúmeras pessoas sabiam que o relacionamento que ela vivia era abusivo. Uma testemunha do processo chegou até a dizer que “aprendeu da pior maneira que em briga de marido e mulher se mete a colher.”


Porém, mais uma vida se foi, mais uma mulher foi morta dentro de sua própria casa por uma pessoa que ela escolheu AMAR.


Mulheres, homens, vizinhos, amigos, padres e pastores denunciem.

5 visualizações0 comentário